quinta-feira, 12 de setembro de 2013

O poeta da morte

Versos Íntimos
Autor : Augusto dos Anjos


                           Vês! Ninguém assistiu ao formidável
                           enterro de tua última quimera.
                           Somente a Ingratidão – esta pantera – 
                           foi tua companheira inseparável!

                           Acostuma-te à lama que te espera!
                           O homem, que, nesta terra miserável,
                           mora entre feras, sente inevitável
                           necessidade de também ser fera.

                           Toma um fósforo. Acende teu cigarro!
                           O beijo, amigo, é a véspera do escarro,
                           a mão que afaga é a mesma que apedreja.

                           Se a alguém causa inda pena a tua chaga,
                           apedreja essa mão vil que te afaga,
                           escarra nessa boca que te beija!


O beijo da morte
Imagem: ocontornodasombra.blogspot.com.br


Para mais informações sobre Augusto dos Anjos, acesse os links abaixo:

Wikipédia
http://pt.wikipedia.org/wiki/Augusto_dos_Anjos

Releituras
http://www.releituras.com/aanjos_versos.asp 

2 comentários:

  1. Incisivo até demais! O pior é pensar que nofundonofundo ele tem razão...
    :|

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Augusto dos Anjos tem um jeito cru(el) de ver a vida que, se não dá para ser elogiado, também não pode ser negado.
      Há mais cinza(s) entre o branco e o negro do que supõe nossa vã filosofia...

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...