sexta-feira, 27 de março de 2015

Semana Santa em Diamantina

Fotos da Semana Santa de Diamantina

As celebrações da Semana Santa em Diamantina mantêm ritos tradicionais, muitos deles com representações ao vivo, que emocionam os participantes durante as cerimônias e procissões.  As celebrações iniciam-se no Domingo de Ramos, prosseguem com a Procissão do Encontro, a cerimônia do Lava-Pés, a Sexta-Feira da Paixão, com a crucificação e morte de Jesus Cristo, o Descendimento da Cruz, terminando com a Ressurreição no Domingo de Páscoa. 
Uma antiga tradição preservada em Diamantina é a Guarda Romana, que possui uma composição musical própria que marca a marcha e a evolução dos mais de 100 homens que, caracterizados, participam da Via Sacra.

Via Sacra em Diamantina com a Guarda Romana
( 2014 )
Procissão na Semana Santa em Diamantina
( 2014 )
As profetisas sibilas
Semana Santa em Diamantina ( 2014 )
Semana Santa em Diamantina ( 2014 )
Imagem: http://tijucomental.blogspot.com.br/2014/04/semana-santa-em-diamantina.html 

Procissão do Enterro
Semana Santa de Diamantina ( 2014 )

Catedral Metropolitana de Diamantina
Semana Santa ( 2012 )
Semana Santa em Diamantina ( 2011 )
Semana Santa em Diamantina ( 2010 )

Tapete de serragem para a Procissão da Ressurreição
Centro histórico de Diamantina ( 2011 )

Tapete de serragem na Rua do Carmo
Procissão da Ressurreição na Semana Santa em Diamantina ( 2011 )

Fonte de referência:

Hoje em Dia
Tradição das cidades históricas de Minas fala mais alto na Semana Santa
http://www.hojeemdia.com.br/tradicao-das-cidades-historicas-de-minas-na-semana-santa  

História da Semana Santa

A Semana Santa é a ocasião em que é celebrada a paixão de Cristo, sua morte e ressurreição.

Em 325 d.C, o Concílio de Niceia, presidido pelo imperador romano Constantino e organizado pelo Papa Silvestre I, fabricou e consolidou a doutrina da Igreja Católica, como a escolha dos livros sagrados e as datas religiosas. Ficou decidido também que seria comemorada uma Semana Santa (do Domingo de Ramos ao Domingo de Páscoa). Há relatos de antigas festas em homenagem aos últimos dias de Cristo, desde pouco tempo depois de sua morte; porém comemoravam apenas dois dias (Sábado de Aleluia e Domingo da Ressurreição).
Nesse Concílio também foi adotado o Catolicismo como religião oficial do Império Romano, o que foi determinante para que as tradições da Semana Santa se espalhassem pela Europa e, consequentemente, pelos demais continentes do planeta a partir da era das grandes navegações e das expansões imperiais europeias.

Cada dia das comemorações na Semana Santa faz referência a um acontecimento:
• O Domingo de Ramos refere-se à entrada de Jesus (como um Rei e Messias) na cidade de Jerusalém, para comemorar a páscoa judaica; 
• Na segunda-feira seguinte foi o dia em que Cristo expulsou os vendedores e cambistas do templo, causando nos sacerdotes e fariseus o desejo de se livrar dele; 
• Na terça-feira ocorre o discurso de Jesus no Monte das Oliveiras; 
• Na quarta-feira realiza-se o encontro de Nosso Senhor dos Passos com Nossa Senhora das Dores e algumas igrejas realizam o Ofício das Trevas, pela proximidade da morte de Jesus; 
• Na quinta-feira aconteceu a última ceia de Jesus com os apóstolos, dia em que são abençoados os óleos que serão usados na administração dos sacramentos do Batismo, Crisma e Unção dos Enfermos. Com essa celebração se encerra a Quaresma. Nesta noite Jesus foi preso;
• A sexta-feira (Sexta-Feira da Paixão) foi o dia do sofrimento, crucificação e morte de Cristo; 
• O sábado é o dia destinado à oração e ao jejum, onde os cristãos lamentam pela morte de Jesus e aguardam sua ressurreição; 
 No Domingo de Páscoa comemora-se o dia em que Cristo ressuscitou, dando à humanidade a esperança de vida eterna.

Fontes de referência:

Brasil Escola
Origem da Semana Santa
http://www.brasilescola.com/historia/origem-da-semana-santa.htm 

Wikipédia 
Semana Santa
http://pt.wikipedia.org/wiki/Semana_Santa 

Portal do Rancho 
Semana Santa - O que aconteceu com Jesus dia a dia
http://www.portaldorancho.com.br/portal/semana-santa 

6 comentários:

  1. Respostas
    1. Obrigado pelo elogio Conceição.
      Vamos conservar a fé na vida e a força daquilo que nos faz sentir melhor. Se tiver uma beleza estética e for coletivo fica ainda melhor.
      Abraço.

      Excluir
  2. Nunca passei a semana santa numa cidade histórica. Deve ser emocionante. A aura da cidade deve encantar :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você imaginou com perfeição a ocasião Jussara!
      Tive a satisfação de passar semanas santas em Mariana, Ouro Preto e São João del-Rei e elas têm um clima de religiosidade e tradição que me contagiaram de uma forma muito intensa! Foi da sensação de pertencimento religioso destas populações locais que surgiu em mim a necessidade de fazer esta série de postagens – que por aqui encerro – sobre a semana santa em cidades históricas, para mostrar às pessoas deste mundão de meu Deus que ainda existem lugares que mantém a dinâmica religiosa de tempos antigos.
      É verdade que o número de fiéis diminui na medida em que falecem os antigos moradores e estes não conseguem transmitir às novas gerações o compromisso religioso com os antigos ritos, mas percebi encantado, principalmente em São João del-Rei, que os pequenos gestos de fé individual, como colocar flores e colchas nas janelas e sacadas, fazer bolos e pratos típicos da época, levam aos grandes eventos coletivos como seguidas missas com igrejas centenárias sempre repletas de pessoas rezando envoltas em pesada nuvem de incenso e acompanhar procissões cantando diversas músicas religiosas sem a necessidade de ler suas letras, pois já as memorizaram nos anos de prática.
      Os tapetes de serragem e flores e os repiques de sinos se harmonizam e complementam na aparência do antigo casario, das ruas de pedras e nas roupas ao mesmo tempo simples e elegantes que os moradores escolhem para a ocasião.
      Percebi nas igrejas e ruas um pequeno número de pessoas jovens que escolheram dar continuidade às tradições religiosas, o que me traz uma enorme satisfação de saber que ainda há sementes sendo lançadas na sociologia das tradições da semana santa. É ao mesmo tempo bonito e engraçado (porque transmite a nítida sensação de que ‘eu sou você amanhã’) ver familiares com 15 ou vinte e poucos anos sentados nas igrejas ou caminhando nas ruas ao lado de idosas ‘beatas’ com seus ombros encurvados cobertos por antigos xales (que me parecem guardados cuidadosamente em gavetas para ocasiões solenes, alguns cheirando a naftalina ou leite de rosas) ou senhores com ajustados ternos (com direito a seus estilosos coletes internos, que acrescentam elegância e calor na mesma proporção a seus usuários) e seus chapéus bem conservados (aquele típico ‘chapéu de domingo’, reservado para ser usado apenas em ocasiões especiais).
      Vale a pena se esforçar para passar a semana santa numa cidade histórica! Sugiro que se esforce para vivenciar, o quanto antes, este clima ao mesmo delicado e dedicado da semana santa em São João del-Rei. Você não vai se arrepender!

      Excluir
    2. Em tempo, Jussara.
      As postagens sobre os carnavais nas cidades históricas surgiram como contraponto às postagens das semanas santas, pois achei muito interessante constatar como um mesmo ambiente pode ser percebido e usado de forma tão distinta, dependendo da capacidade e vontade das pessoas.
      Ao presenciar um carnaval em Ouro Preto, senti toda aquela multidão e barulho passando pelas antes pacatas ruas históricas como uma forma alegre e aceitável de ‘profanação’ daquele ambiente onde sempre busco paz e contemplação.
      Minha ideia inicial era publicar apenas as semanas santas, os carnavais vieram para que eu me lembrasse da necessidade da atenção e respeito à diversidade da vida.

      Excluir
  3. Ótima cobertura, Sylvio. Parabéns. (Sérgio Marcus Pinto Lopes)

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...