sexta-feira, 15 de março de 2013

Hino Nacional Brasileiro

O Hino Nacional do Brasil

Imagem: colegiovillalobos-ba.com.br

13 de abril - Dia do Hino Nacional Brasileiro

No dia 13 de abril é comemorado o Dia do Hino Nacional Brasileiro, um dos quatro símbolos oficiais do Brasil, conforme estabelece o parágrafo 1º do artigo 13 da Constituição do Brasil. Os outros símbolos da República são a bandeira nacional, as armas nacionais e o selo nacional. 

Este deve ser executado em continência à Bandeira Nacional, ao presidente da República, ao Supremo Tribunal Federal e ao Congresso Nacional. É executado também em cerimônias religiosas de cunho patriótico, sessões cívicas e eventos esportivos internacionais.
A partir de 22 de setembro de 2009 o hino nacional brasileiro tornou-se obrigatório nas escolas públicas e particulares de todo o país. Ao menos uma vez por semana todos os alunos do ensino fundamental devem cantá-lo.
Existem regras que devem ser seguidas no momento da execução do hino. A lei nº 5.700/71 determina que a “postura correta da pessoa durante a execução do Hino Nacional deve ser respeitosa, em pé e em silêncio. A cabeça deve estar descoberta, portanto caso haja alguém usando chapéu, boné, ou qualquer outro tipo de cobertura, deve retirar durante a execução do hino.

História do Hino Nacional do Brasil

A letra do hino nacional do Brasil foi escrita pelo poeta e crítico literário Joaquim Osório Duque Estrada (1870-1927) e a música é do compositor da Imperial Câmara, Francisco Manuel da Silva (1795-1865). Tornou-se oficial no dia 1º de setembro de 1971, através da lei nº 5700.
A música do Hino Nacional do Brasil foi composta em 1822, por Francisco Manuel da Silva, para comemorar a independência do país. Essa música tornou-se bastante popular durante os anos seguintes e recebeu duas letras. A primeira letra foi produzida quando Dom Pedro I abdicou do trono e a segunda na época da coroação de Dom Pedro II. Ambas versões caíram no esquecimento. Após a Proclamação da República em 1889, foi realizado um concurso para escolher um novo Hino Nacional. A música vencedora, entretanto, foi hostilizada pelo público e pelo próprio marechal Deodoro da Fonseca. Esta composição ("Liberdade, liberdade! Abre as asas sobre nós!...") seria oficializada como Hino da Proclamação da República do Brasil, e a música de Francisco Manuel da Silva continuou como hino oficial.
Somente em 1906 foi realizado um novo concurso para a escolha da melhor letra que se adaptasse ao hino, e o poema declarado vencedor foi o de Joaquim Osório Duque Estrada, que foi oficializado por Decreto do então Presidente Epitácio Pessoa em 1922 e que permanece até hoje.

Imagem: mundodastribos.com

Letra e significado do Hino Nacional Brasileiro

I

Ouviram do Ipiranga as margens plácidas
de um povo heróico o brado retumbante,
e o sol da liberdade, em raios fúlgidos,
brilhou no céu da pátria nesse
instante.
Se o penhor dessa igualdade
conseguimos conquistar com braço forte,
em teu seio, ó liberdade,
desafia o nosso peito a própria morte!

Ó pátria amada,
idolatrada,
salve! salve!

Brasil, um sonho intenso, um raio vívido
de amor e de esperança à terra desce,
se em teu formoso céu, risonho e límpido,
a imagem do cruzeiro resplandece.
Gigante pela própria natureza,
és belo, és forte, impávido colosso,
e o teu futuro espelha essa grandeza.

Terra adorada,
entre outras mil,
és tu, Brasil,
ó pátria amada!
Dos filhos deste solo és mãe gentil,
pátria amada,
Brasil!

II

Deitado eternamente em berço esplêndido,
ao som do mar e à luz do céu profundo,
fulguras, ó Brasil, florão da América,
iluminado ao sol do novo mundo!
Do que a terra mais garrida,
teus risonhos, lindos campos têm mais flores;
nossos bosques tem mais vida,
nossa vida no teu seio mais amores.

Ó pátria amada,
idolatrada,
salve! salve!.

Brasil, de amor eterno seja símbolo
o lábaro que ostentas estrelado,
e diga o verde-louro dessa flâmula
- paz no futuro e glória no passado.
Mas, se ergues da justiça a clava forte,
verás que um filho teu não foge à luta,
nem teme, quem te adora, a própria morte.

Terra adorada,
entre outras mil,
és tu, Brasil,
ó pátria amada!
Dos filhos deste solo és mãe gentil,
pátria amada,
Brasil!

Vocabulário (Glossário)

- Plácidas: calmas, tranquilas.
- Ipiranga: rio onde foi proclamada a independência do Brasil em 7 de setembro de 1822.
- Brado: grito.
- Retumbante: som que se espalha com barulho, que causa eco.
- Fúlgido: que brilha, cintilante.
- Penhor: garantia.
- Idolatrada: cultuada, amada.
- Vívido: intenso.
- Formoso: lindo, belo.
- Límpido: puro, que não está poluído.
- Cruzeiro: constelação de cinco estrelas do Cruzeiro do Sul.
- Resplandece: que brilha, iluminada.
- Impávido: corajoso ou tranquilo, dependendo do contexto da frase.
- Colosso: gigante, grande.
- Espelha: reflete, mostra.
- Fulguras: brilhar, aparecer com importância.
- Florão: flor de ouro.
- Garrida: enfeitada com flores, o que chama a atenção pela beleza.
- Idolatrada: amada acima de tudo.
- Lábaro: bandeira.
- Ostentas: mostrar com orgulho.
- Flâmula: bandeira.
- Clava: arma primitiva de guerra, tacape.

13 de abril - Dia do Hino Nacional Brasileiro
Imagem: mundodastribos.com

Curiosidades sobre o Hino Nacional Brasileiro

Comemoração com gritos durante a execução do hino é proibida. Contudo, a exemplo de aplauso, qualquer outra manifestação posterior à execução do Hino Nacional deve ser moderada e respeitosa. 
Gritos entusiasmados, dependendo do ambiente, podem ser interpretados como atitude desrespeitosa, sendo desaconselhável.
A questão se é permitido ou não aplausos após a execução do Hino Nacional é controvertida e gera confusão. Isso ocorre por desinformação e pela má interpretação do parágrafo único do artigo 30 da lei nº. 5.700/71, que afirma que “é vedada qualquer outra forma de saudação [...] durante a execução do hino nacional”. Alguns interpretam que isto se estenda após a execução, outros entendem que aplaudir após o hino expressa o respeito mútuo entre os participantes e é uma homenagem coletiva de amor à pátria.

Além de permanecer em pé e silêncio, a mão direita sobre o lado esquerdo do peito (sobre o coração) durante a execução do hino foi uma forma de demonstração do sentimento patriótico comum em escolas públicas na década de 1970.

A parte instrumental da introdução do Hino Nacional Brasileiro possuía uma letra, que acabou excluída da versão oficial do hino. Essa letra é atribuída a Américo de Moura, natural de Pindamonhangaba (SP), que foi presidente da província do Rio de Janeiro nos anos de 1879 e 1880, e apresenta os seguintes versos:

"Espera o Brasil
que todos cumprai
com o vosso dever.
Eia avante, brasileiros,
Sempre avante! Gravai com buril
Nos pátrios anais
Do vosso poder.
Eia avante, brasileiros,
Sempre avante! Servi o Brasil
Sem esmorecer,
Com ânimo audaz
Cumpri o dever,
Na guerra e na paz,
À sombra da lei,
À brisa gentil
O lábaro erguei
Do belo Brasil.
Eia sus, oh sus!"


A palavra "sus" em latim significa "de baixo para cima", sendo portanto uma expressão de motivação no sentido de “erga-se!, ânimo!, em frente!".

O atual Hino da Independência do Brasil já foi o Hino Nacional do Brasil

Em 16 de agosto de 1822 o artista, político e livreiro Evaristo Ferreira da Veiga (1799-1837) escreveu os versos do “Hino Constitucional Brasiliense”. Os versos foram musicados pelo maestro Marcos Antônio da Fonseca Portugal (1760-1830). 
Após a proclamação da independência, D. Pedro I decidiu compor uma nova melodia para a letra de Evaristo da Veiga. A melodia do imperador substituiu o arranjo de Marcos Portugal a partir de 1824, sendo tocada pelo menos até 1831. O feito de D. Pedro I ganhou tanto destaque que durantes alguns anos ele foi considerado o autor da letra e da música do hino, que inicialmente foi adotado como o Hino Nacional do Brasil.

Com a crescente perda de popularidade de D. Pedro I que culminou com sua abdicação do trono brasileiro em 7 de abril de 1831, o hino, fortemente associado à sua figura, passou a ser desprestigiado, sendo sua melodia substituída pela do atual Hino Nacional, já existente desde 1822.

Em 1922, na comemoração do centenário da independência, o hino voltou a ser executado, mas com a melodia original criada pelo maestro Marcos Portugal. Na década de 1930, graças à ação do ministro Gustavo Capanema (1900-1985) e contando com a ajuda do maestro Heitor Villa-Lobos (1887-1959), o Hino da Independência foi oficializado com a melodia composta por D. Pedro I acompanhando e letra de Evaristo da Veiga.

Óleo sobre tela "Hino da Independência" - Augusto Bracet (1922)
Museu Histórico Nacional - Rio de Janeiro
Imagem: pt.wikipedia.org

Se quiser saber mais sobre a independência do Brasil, acesse o link abaixo:

Se quiser saber mais sobre a proclamação da República no Brasil, acesse o link abaixo:

Vídeos:

Hino Nacional (com legenda)
( 3:29 )

Considero muito bonita a melodia do Hino Nacional, e acredito que quando uma música é bem feita versões diferentes dela só fazem confirmar e acrescentar sua qualidade.         
Sem querer ser desrespeitoso, escolhi algumas variações que considerei interessantes.

Hino Nacional Brasileiro ( Ritmos regionais )
( 3:12 )

Hino Nacional Brasileiro ( Versão rock’n’roll )
( 2:01 )

Hino Nacional Brasileiro ( Versão forró )
( 2:10 )

Hino Nacional Brasileiro ( Guitarra baiana de 5 cordas )
( 2:26 )

Hino Nacional Brasileiro ( Sax e teclado )
( 2:04 )

Fontes:

Sua Pesquisa
Hino Nacional Brasileiro

Wikipédia
Hino Nacional Brasileiro

Só História
Hino Nacional Brasileiro

Blog Simplificando Política
Curiosidades sobre o Hino Nacional

Patriotismo.org.br
Hino: Qual a postura correta, mãos, aplausos, etc

Mundo das Tribos
13 de abril: Dia do Hino Nacional Brasileiro

Wikipédia
Osório Duque Estrada
http://pt.wikipedia.org/wiki/Os%C3%B3rio_Duque-Estrada  

Wikipédia
Francisco Manuel da Silva
http://pt.wikipedia.org/wiki/Francisco_Manuel_da_Silva  

Wikipédia
Evaristo da Veiga
http://pt.wikipedia.org/wiki/Evaristo_da_Veiga 

Brasil Escola
Hino da Independência
http://www.brasilescola.com/historiab/hinodaindependencia.htm  

Humor:

Autor: Ivan Cabral
Imagem: ivancabral.com

Autor: Ivan Cabral
Imagem: blogdamarlizinha.blogspot.com

3 comentários:

  1. Sylvio,
    achei interessante a consideração de que "outros entendem que aplaudir após o hino expressa o respeito mútuo entre os participantes e é uma homenagem coletiva de amor à pátria", pois é mais ou menos como me sinto, se aplaudo, embora ache esse um momento bastante constrangedor, pois há sempre no mesmo ambiente os que consideram errado aplaudir e os que acham que devem fazê-lo =/
    A versão em sax e teclado é linda!
    ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gosto de aplaudir após o hino nacional, pois para mim aplaudir é sempre um ato de aprovação e demonstra que gostei do que vi ou ouvi. Nas ocasiões em que tenho oportunidade, canto o hino em alto e bom tom (não aquela meia voz envergonhada), com a mão direita sobre o coração e não esquento se os outros vão achar isso careta ou ridículo. Num país onde se aplaude participante de BBB e certas músicas com letras deselegantes ou sem o menor significado, tem coisas mais criticáveis para se envergonhar ou ficar indeciso.
      Não vejo nenhum problema em cantar e aplaudir, sem grilos, o hino nacional, pela bela melodia, a letra bem construída e pela unidade que ele representa entre os viventes desta Terra Brasilis. O problema realmente é saber quando aplaudir, então espero uma primeira pessoa fazê-lo, e já vou no vácuo, batendo palmas com vontade e por um curto espaço de tempo.
      Penso que a combinação de cantar o hino nacional sem inibições e depois aplaudi-lo com vontade por um curto espaço de tempo mostra um sincero patriotismo e respeito pelo hino e pela ocasião.
      De resto, é cada cabeça com sua sentença e leis mal elaboradas, deixando lacunas de interpretação.
      A versão que mais gostei foi a do “hino nacional em ritmo brasileiro”: sanfona, viola caipira, baião, chorinho, rock, maracatu e não sei mais quais ritmos se harmonizando para representar este Brasil tão vasto e cheio de diferentes sotaques que convivem de forma pacífica. Olha que boa representação para uma fala nacional musical!
      Um abraço, Jussara.

      Excluir
  2. TREZE DE ABRIL DIA DO HINO NACIONAL BRASILEIRO
    Acróstico -histórico
    Por Sílvia Araújo Motta /BH-MG-BRASIL)
    ---
    -H-Há uma Lei aprovada, de exigência oficial
    -I- Inalterável, exige em seu artigo primeiro.
    -N-No patriótico Hino Nacional Brasileiro,
    -O-Orgulho do Povo no Congresso Nacional,
    ---
    -N-Na música, tocada somente em Si Bemol,
    -A-Atento ritmo ”cento e vinte”, na execução,
    -C-Canto obrigatório sempre em uníssono,
    -I -Indicado para voz em tom de Fá Maior.
    -O-Orquestra,Banda ou Coral em exata “disposição”.
    -N-Na melodia, sons da Independência do Brasil.
    -A-A autoria de Francisco Manuel da Silva,(RJ)
    L-Letra oficial de Ozório Duque Estrada.(RJ)
    ---
    -B-Batista Siqueira confirma a oficialização
    -R-Realmente em mil oitocentos e noventa,
    -A-A seguir dois anos da aprovação da República.
    -S-Sabemos que o Hino foi cantado na Abdicação
    -I- Imprevista de D. Pedro I, em 7 de abril.(1831).
    -L-Letra imortal escrita (1909) e aprovada(1922).
    -E-Enfim, a primeira letra da partida de “D. Pedro I”
    -I- Indicada dez anos até a letra para a Coroação,
    -R-Retificada apenas em alguns termos da letra de
    -O-Ovídio Saraiva de Carvalho e Silva.(1841).
    ---
    Belo Horizonte, 19 de novembro de 1980.
    clubedalinguaport@gmail.com
    -//-

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...