sábado, 19 de janeiro de 2013

Ferrovias - Associações ferroviárias

Abandono e resistência nas ferrovias brasileiras

Imagem: my.opera.com

O sistema ferroviário não é composto apenas por locomotivas, vagões e trilhos. Pontes, viadutos, túneis, obras de contenção de encostas, estações ferroviárias, oficinas, vilas de funcionários, escolas, hospitais, instituições sociais como bandas de música e times de futebol, além de veículos de apoio como ambulâncias e caminhões, entre outros, compõe o complexo material e humano ligado às ferrovias.
O atual abandono do sistema ferroviário não é somente falta de inteligência e desperdício de recursos, é uma traição e desrespeito à dedicação, energia e tempo dos ferroviários que implantaram e mantiveram uma estrutura eficiente enquanto lhes foi possível.

Na época da privatização, o material ferroviário não foi abandonado ou reunido de qualquer maneira. Presenciei na cidade onde vivo a forma cuidadosa com que veículos e o material necessário para a manutenção foram guardados dentro de galpões ou nos locais destinados para essa finalidade e anos depois ali se encontravam, cobertos pelo pó, enferrujando devido à falta de uso ou manutenção, apodrecendo aos poucos no vácuo criado entre a incapacidade e lentidão do governo em terminar os inventários necessários para finalizar a burocracia que permitiria a venda ou utilização do material e a falta de interesse dos empresários em otimizar os recursos que possuíam, pois se concentram nas poucas rotas que lhes dão lucro a curto prazo, quase sempre no transporte de minério, soja ou produtos químicos.
A relação dos materiais existentes foi feita rapidamente na época que antecedeu às privatizações pelos funcionários do baixo escalão, que trabalhavam diretamente com o material. Os chefes e gerentes do médio escalão as reuniram e repassaram para o alto escalão com considerável rapidez, deixando de constar na ocasião os locais onde o serviço desorganizado não conseguiu transmitir a tempo as informações necessárias.
No alto escalão do governo, composto por funcionários públicos concursados, desmotivados ou incapazes, por diretores com pouco ou nenhum conhecimento técnico, indicados por apadrinhamento político, além dos políticos corruptos que aceitaram propinas para aprovar certas decisões, é que se deu a injustificável demora e descaso com as informações que poderiam aumentar o valor das ferrovias quando de suas vendas ou evitar que o material que se encontrava em perfeito estado de conservação e uso fosse desperdiçado.

Ferroviários aposentados e da ativa, além de simpatizantes, sentindo-se traídos e indignados, se uniram e criaram organizações não governamentais em diversos pontos do Brasil para preservar material, documentação, instalações e o que mais contribuísse para manter a memória e a esperança para as ferrovias brasileiras.
Estes grupos se mantiveram inicialmente apenas com as contribuições dos associados. Com o passar dos anos e diante dos resultados eficientes e sérios de suas ações, vêm conseguindo apoio financeiro de empresários e recentemente capital governamental através de programas culturais, principalmente na preservação das estações ferroviárias. Essas estações sempre foram cobiçadas pelo mercado imobiliário por situarem-se geralmente em amplas áreas centrais e planas, com alto valor financeiro e estratégico na malha urbana.
As associações de preservação ferroviária não têm uma organização centralizada, o que faz com que percam eficiência e representação política, mas vêm se integrando através de seminários, encontros e eventos comemorativos, trocando experiências, compartilhando dificuldades e soluções, ganhando visibilidade na mídia e apoio da população.

O que une todas essas entidades e pessoas é um sincero e profundo respeito e amor pela atividade ferroviária e o desejo de que esta possibilidade de transporte não acabe para as futuras gerações.
_ _ _ _ _

Sites:

Associação Brasileira de Preservação Ferroviária ( ABPF )
http://www.abpf.org.br 

Movimento de Preservação Ferroviária ( MPF ) 
http://www.mpfbrasil.com.br   

Clube Amantes da Ferroviária
http://www.amantesdaferrovia.com.br   

Amigos do Trem
http://www.amigosdotrem.com.br  
_ _ _ _ _

Vídeos:

Preservação ferroviária no Brasil
Curta-metragem editado em 2010 com imagens captadas entre 1989 e 1990 para um registro histórico da Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF) sobre os primeiros trabalhos de preservação ferroviária no Brasil.
( 17:00 )
https://www.youtube.com/watch?v=F9Ld62l-tTk  

Trem de Prata (1995)
Vídeo mostrando um pouco da rotina de luxo proporcionada pelo Trem de Prata, que fazia a viagem ligando Rio de Janeiro e São Paulo.
( 5:19 )
https://www.youtube.com/watch?v=M_Bbzc0fQ5o   

Viagem de trem ( Belo Horizonte - Vitória )
Uma viagem ferroviária possibilita um conforto e uma interação com o trajeto e com as outras pessoas que não se consegue em uma viagem rodoviária.
( 5:17 )
https://www.youtube.com/watch?v=S0AccAFfGmg    

2 comentários:

  1. Parabéns pelo bom trabalho em defesa da ferrovia, Sylvio. Conte conosco no que julgar de interesse para a causa ferroviária.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grato pelo elogio!
      Farei novas visitas ao blog São Paulo TREM Jeito para saber das novidades nesta luta persistente pelo uso das ferrovias como forma viável e agradável de transporte de passageiros.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...